A ESCASSEZ DA PALAVRA

ESBOÇO 607
TEMA: A ESCASSEZ DA PALAVRA
“Eis que vêm os dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor.   Andarão errantes de mar a mar, e do norte até o oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão. (Am 8.11,12).
           
A palavra de Deus é um elemento de subsistência do homem, porque não só de pão ele viverá ( Dt 8:3; Mt 4:4), no entanto ela não tem sido levada em consideração como elemento vital. A desobediência a Deus tem sido crescente em todo mundo e na proporção que ela cresce o homem vai se distanciando de Deus e da sua palavra, atualmente muitos a deixam de lado procurando substituí-la por coisas dos seus interesses materiais, isso se constituí um grande perigo para a humanidade. Uma sociedade materialista é uma sociedade esquecida de Deus.

O desprezo e a irreverência a palavra
Grande parte dos homens não está levando em consideração a palavra de Deus, pois para eles ela deixou de ser o elemento principal para subsistência espiritual. Muitos crentes não estão mais interessados em ouvir a palavra de Deus, e procuram substituí-la por mensagens que apenas massageiem o seu ego e lhe tragam esperanças nas coisas vans dessa vida. Jesus enfatizou que deveríamos dar prioridade ao reino de Deus e a sua justiça (Mt 6:33). O reino de Deus é completo, ele tem tudo o que o homem precisa, muitas mensagens enchem os olhos e massageiam o coração, mas emagrecem a alma, no entanto muitos obreiros comprometidos com a palavra de Deus precisam despertar a igreja, pois o despertamento vem do altar (Ne 8:1-10). O verdadeiro avivamento vem pela palavra de Deus, muitos estão deixando-a em busca somente de curas, empregos e riquezas esquecendo que a palavra é o alimento fundamental para ALMA, existem muitas pessoas refém dos seus próprios olhos porque só acreditam naquilo que vêem “Bem-aventurados os que não viram e creram. (Jo 20:29)”, elas só acreditam que DEUS está agindo naquele lugar se os olhos deles vêem acontecer alguma coisa que lhe despertem o interesse ou chamem a atenção.

Quando não há essas coisas eles agem com irreverência e desrespeito a palavra de Deus, principalmente no momento da pregação, há um principio que é fundamental para todo cristão dito por Salomão (Ec 5:1) e o pior é que quando a mensagem não é aquela que o indivíduo quer ouvir, ou não é do seu interesse ele se levanta e vai embora. As mensagens que mais levam as pessoas ao delírio são aquelas atualmente ouvidas (receba ai, leve agora, abra a boca) que faz o povo chorar e gritar, no entanto ao terminar o movimento elas saem totalmente vazias apenas alimentadas com esperanças vazias. Vejamos o que Paulo diz sobre a sua visita aos crentes perseguidos: “E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.” (At 14:21,22). O mais importante para Paulo era ver os crentes de Lista e Icônio espiritualmente bem, embora eles estivessem sofrendo perseguições e grandes ameaças, o mais importante era a permanência deles na fé e a convicção da entrada no reino de Deus. A PALAVRA ALIMENTA E EDIFICA. A palavra é viva e eficaz, ela vai a divisão da alma (Hb 4:12).

Escassez da palavra
Atualmente está grande a escassez da palavra e nessa cumprir-se-á o que disse o profeta Amós com maior agravante (Am 8:11,12), não necessita muita coisa para entender. Quando DEUS está dizendo que vai enviar fome e sede da palavra, ELE está dizendo que vai chegar um tempo em que as pessoas reféns dos interesses e dos olhos vão se cansar de pseudo milagres, muitos dizem que é poder e unção, essas coisas que mexem com o nosso corpo nos faz arrepiar os cabelos não passam disso, entretanto vai chegar a ocasião em que essa multidão não vai querer saber e perceberá que não só de milagre e não só de pão vive o homem e  ficarão famintas pela verdadeira palavra. “andarão errantes de mar a mar, e do norte até o oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão. (Am 8.11)”, procurando uma palavra que alimente a alma e que os capacite, nesse momento eles entenderão que a verdadeira fé vem pela palavra (Rm 10:17).

Pregação da verdadeira palavra
Nos dias de hoje poucas igrejas estão com a missão de pregar o evangelho para a salvação das almas e edificação espiritual dos cristãos para torná-los melhor. Atualmente muitos líderes estão falando para o povo aquilo que eles querem ouvir, que são as bênçãos diversificadas para todos os gostos, mas não percebem que vai chegar o tempo que esse mesmo povo vai se cansar de aparentes milagres e curas e vão procurar a real palavra e não mais a encontrarão. Muitos cristãos meditam na palavra menos do que deveria, e se a fé vem pelo ouvir poucos têm aguçados os seus ouvidos para ouvi-la. Queridos dias de fome e sede virão (Am 8:11), deve-se ter muito cuidado porque na fome e na sede todo amargo é doce, e isso se constitui um grande perigo porque muitos podem comem qualquer bolotas que aparece (Lc 15:16).

A ausência da palavra fará toda diferença nos momentos mais difíceis da vida porque irá faltar a fé e a substancia espiritual que nos capacita para superá-los, com isso vem a decadência e a destruição do povo “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. (Os 4.6 a).”

A palavra de Deus tem poder, ela é a farinha que tira o veneno da panela (2 Rs 4:38-44). A palavra é remédio para o corpo e a alma, ela tira toda impureza dos corações e da mente. A palavra de Deus não volta vazia (Is 55:11). A palavra edifica o crente “Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes. (I Ts. 2.13)”. Permitamos que ela opere em nós como disse Paulo “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria. (Cl. 3.16)”.

E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. (Tia. 1.22).” 

Pr. Elis clementino – Paulista – PE


INSENSATEZ, A CAUSA DE MUITAS DESVENTURAS


ESBOÇO 606
TEMA: INSENSATEZ, A CAUSA DE MUITAS DESVENTURAS
TEXTO: Eclesiastes 10:1
Assim como a mosca morta faz exalar mau cheiro e inutilizar o ungüento do perfumador, assim é para o famoso em sabedoria e em honra um pouco estultícia.”

Uma mosca, inseto que aos nossos olhos é insignificante para estragar o perfume do perfumista, entretanto tem a capacidade de deteriorar.  A lição é: um pouco de insensatez pode destruir os bons feitos de muitos sábios. “O fulano é tão inteligente, mas um pouco da sua insensatez desmereceu a sua inteligência”. Muitas vezes os nossos planos são magníficos, mas um pouco da nossa precipitação pode estragar todos eles. (I Co 5.6) Comentaremos neste assunto sobre a insensatez, prudência e as pequenas falhas que podem estragar grandes projetos e trazer sérios transtornos.
 
A insensatez
1. O insensato pela sua loucura constrói a sua casa sobre a areia, e com a sua própria insanidade a derruba (Mt 7.26). A insensatez tem conduzido muitas pessoas à desgraça, “Todo prudente age com conhecimento, mas o tolo espraia a sua loucura.” (Pv 13.16; 12.23; 15.2).
 2. A insensatez está cada vez mais habitual na vida de muitas pessoas, principalmente naquelas que menos esperamos. Isso é visível em todos os seguimentos da sociedade, inclusive no mundo cristão. A insensatez tem gerado escândalos que prejudicam o crescimento do reino de Deus na terra.
 3. A mosca morta significa as nossas atitudes sejam elas, em palavras ou ações irrefletidas no nosso cotidiano. O rei Ezequias após ser curado milagrosamente, recebeu uma embaixada do Rei de Babilônia (Merodaque - Baladã) com presentes para ele, o problema não era receber a visita, mas ter a insensatez de mostrar tudo o que havia em sua casa, inclusive os seus tesouros, isso não pareceu bem aos olhos do Senhor, por isso foi repreendido pelo profeta Isaias declarando-lhe as consequências (2 Rs 20.12-18). “Basta um pouco de insensatez para desmerecer toda inteligência.” (CLEMENTINO)

A Prudência
A prudência é a virtude que nos faz prever os perigos, Jesus mostrou aos discípulos o valor e a necessidade dela (Mt 10.16). Os prudentes não edificam a casa sobre a areia, mas, sobre a rocha. Prudência, “cautela, atenção, prevenção”, é resultado de uma mente sensata. (Mt 7.24,25). A mente sensata e sábia deve ser constante, isso significa ponderarmos bem todas as nossas atitudes para termos uma vida saudável (Pv 4.12); “todo prudente age com conhecimento.” Pv 13.16a). Na Bíblia tem muitos exemplos extraordinários; Ester, após uma sentença do Rei para destruir todos os judeus, sabendo ela, interveio em oração e jejum, e de forma sábia e perspicaz até que a ponta do cetro do rei fosse apontando para ela (Et 3. 9; 5.1-5; 8.3-11), essa prudência de Ester fez com que Hamã fosse atropelado pelo seu própria arrogância, a sua imprudência o geriu a própria desgraça (Et 8.7). O insensato cai na sua própria armadilha (Sl 57.6).
 O prudente vê o mal e se esconde, mas o simples prossegue e sofre a pena.” (Pv 22.3)

 “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios.” (Ef 5.15).

Necessitamos ser cautelosos, por falta dela muitos têm sido abarbadas nos seus projetos, e sim, pessoas consideravelmente inteligentes. Os nossos cuidados devem ser permanentes, pois uma pequena bobagem pode ser tão danosa quanto uma mosca morta no ungüento do perfumista, “Um pouco da sua insensatez faz desmerecer toda a inteligência que se tem” (Ec 10.1). “A loucura é a causa de muitas desgraças”. Guardemos as recomendações de Salomão (Pv 9.6; 21.20); Jesus diante dos escribas e fariseus (Mt 23.17,19); Paulo considera os gálatas insensatos (Gl 3.1,3); (Ef 5.17) Devemos abandonar toda insensatez e seguir caminhos que nos levem ao bom senso; (Tt 3.3). "A sensatez deve presidir todos os atos da vida do homem." (Carlos Bernardo González Pecotche)

Pr. Elis Clementino – Paulista/PE

 

A FATUIDADE DO CORAÇÃO

ESBOÇO 605
TEMA: A FATUIDADE DO CORAÇÃO
TEXTO: Pv 30:13

              A fatuidade tem sido um dos males que tem prejudicado muitas pessoas, principalmente aquelas que se destacam de alguma maneira na sociedade ou em um grupo social. As pessoas atingidas por esse mal são capazes de chegarem ao extremo podendo causar danos a ele próprio e aos outros indivíduos.

Significado
A soberba é sentimento de dignidade pessoal; (2) Conceito elevado ou exagerado de si próprio, o indivíduo olha somente para si; (3) Amor-próprio, demasiado. (4) Soberba; orgulho excessivo, altivez, arrogância, sobranceria. As pessoas atingidas por esse mal se sentem acima de tudo e de todos, geralmente elas não aceitam conselhos, as suas opiniões devem prevalecer a todo o custo. Geralmente ele se recusa a dialogar a respeito de algo que ele entenda tirar-lhe alguns privilégios. As pessoas precisam saber que o orgulho precede a ruína e a altivez de espírito à queda. (Pv 21:4).

Os orgulhosos têm características que lhes são bem peculiares (1) A prepotência (muito poderoso ou influente; que abusa do poder ou da autoridade; opressivo, despótico e déspota) (Sl 10:2; Sl 73:6; Sl 119:21; Pv 6:17); (2) Palavras arrogantes ao contrario do que ensina a Bíblia (1 Sm) 2:3); (3) As pessoas com essas características falta-lhe subserviência “humildade” uma virtude que nos dá o sentimento da nossa fraqueza, modéstia, respeito, reverencia e submissão.

A Bíblia condena o coração orgulhoso ou soberbo, levemos em consideração o que o apóstolo Paulo falou a respeito da soberba (Rm 12:16, 1 Tm 6:17), Praticamente todo arrogante é exclusivista ou seja, Que ou quem age com exclusividade. Não admite a participação de outrem, que ou quem rejeita tudo o que contraria sua opinião

Pessoas Orgulhosas
1.      Faraó, o seu orgulho escravizava pessoas (Ex 5:2).
2.      Naamã, o seu orgulho era o impedimento do milagre (2 Rs 5:11).
3.      Uzias, cresceu até que a sua fama voou (2 Cr 26:16).
4.      Ezequias, se orgulhou não reconheceu o que o Senhor fizera por ele (2 Co 3:25).
5.      Hamã, seu coração se encheu de orgulho a sua queda foi fatal (Et 3:5; Isa 10:13; 14:13; 47: 10; Ez 28:2; 31:10).
6.      Nabucodonozor, o seu orgulho o levou a humilhação (Dn 4:30);
7.      Belsazar rei orgulhoso fez Deus escrever a sua sentença na caiadura da parede (Dn 5:23).

Pessoas orgulhosas espirituais
1.      Eliú considerava-se limpo e sem pecado (Jó 33:9);
2.      O fariseu que orava em pé (Lc 18:11);
3.      O homem do coração inchado (Hb 2:4; I Co 4:18);
4.      O Sou rico que de nada sentia falta (Ap 3:17)

Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justo que perece na sua justiça, e há ímpio que prolonga os seus dias na sua maldade. Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? Não sejas demasiadamente ímpio, nem sejas tolo; por que morrerias antes do teu tempo? Ec 7:15-17

              O orgulho arruína as pessoas (Pv 11:2; 13:10; 16:18), A soberba está presente no sistema mundano (I Jo 2:16). As pessoas orgulhosas não medem as conseqüências do orgulho, é através dele que vem a justiça própria, autoconfiança, arrogância, auto-exaltação, isso é embaraço na vida das pessoas cristãs. Tenham cuidado! Se revista da humildade que é o melhor caminho para estar bem com Deus e com o próximo. A maior lição foi divina (Mt 11:29).


Pr Elis Clementino- Paulista - PE

A FIDELIDADE DE UM PROFETA

ESBOÇO 604
TEMA: A FIDELIDADE DE UM PROFETA
TEXTO: I REIS 22; II CRÔNICAS 18.

O texto em meditação nos mostra que em todas as épocas houve pessoas verdadeiramente fiéis aos preceitos divinos, principalmente os profetas que transmitiam as verdades do Senhor, embora muitas vezes houvesse um custo alto para expressar essas verdades ditadas por Deus. Para eles transmitirem essas verdades duas coisas eles teriam que decidir em fazer ou não fazer a vontade de Deus. Destacamos um dos importantes profetas consultado na época, o convite de Acabe, a precipitação do rei de Judá, e a ironia de Micaias.

Micaias
Micaias cujo nome no hb significa quem é semelhante a Jeová? Ele foi um profeta do reinado de Acabe, ele era filho de Inlá um profeta de Samaria, ele existiu lá pelos anos 890 a.C, o seu nome não aparece antes dessa data, mas de acordo com o que falou Acabe ele já havia profetizado para ele antes (I Rs 22:12), alguns comentam que ele já havia sofrido alguma represália pela sua fidelidade a Deus (I Rs 20:35,42). Esse servo de Deus era odiado por transmitir as verdades de Deus e mais uma vez ele foi convidado após três anos de guerra entre Israel e Síria e no terceiro ano Jeosafá rei de Judá foi visitar a Acabe rei de Israel, nessa visita o rei Jeosafá arranjou um grande problema Acabe lhe faz um convite para se aliarem e irem à guerra.

O convite de Acabe
Acabe perguntou aos oficiais de Jeosafá “Vocês estão a dar-se conta como os sírios ainda ocupam Ramote-Gileade? E nós aqui estamos sentados, sem nada fazer para recuperá-la!” (I Rs 22:22,23), depois ele faz a pergunta mais direta a Jeosafá, você concorda mandar as tuas tropas e as minha para a unirmos forças? De imediato ele concordou e firmou uma aliança com Acabe, mas posteriormente ele volta atrás talvez tenha lembrado que não havia consultado ao Senhor (I Rs 22:22-25). Tem concertos que os servos de Deus não devem fazer com o ímpio, essa era uma aliança fora da vontade de Deus. Acabe tinha uma mulher terrível, idolatra e perseguidora de profetas, ela era tão má que o Senhor citou o seu nome na carta a João Evangelista endereçada a igreja de Tiatira (Ap 2:20)

A cinca de Jeosafá
O rei de Judá foi bastante precipitado em afirmar que iria para a batalha (I Rs 22:4), uma aliança precipitada e fora da vontade de Deus pode ter um custo muito alto, Acabe estava totalmente voltado para a idolatria e isso era abominável ao Senhor, além disso, um perseguidor dos profetas do Senhor, os seus profetas somente falavam o que ele queria ouvir, quando isso acontece com um crente constitui-se para ele um grande perigo para ele “ser enganado” (I Rs 22:6,12). Os profetas de Acabe o incitaram a ir à batalha “vai que será próspero”, mas Jeosafá o aconselha procurar um profeta do Senhor e ele se recusa, pois ele sabia que existia um cujo nome era Micaias, a este ele se recusava ouvi-lo, mesmo assim Acabe é repreendido por Jeosafá (I Rs 22:7,8) e finalmente manda chamá-lo.

A Ironia de Micaias
Micaias foi incitado também a falar as mesmas coisas que os seus profetas mentirosos eram acostumados a falar para Acabe, porém em ton de ironia Micaias fala a Acabe, pois bem, ele sabia que Acabe só acreditava em profecias que massageassem o seu ego e lhe disse: Sobe para a batalha e voltará em paz para a tua casa, essa palavra despertou a curiosidade de Acabe, ora! Esse camarada nunca falou coisas boas para mim e porque ele agora me diz isso? Isso não é verdade, mas agora Micaias lhe diz: Falarei o que o Senhor me disser (I Rs 22:14-16), os profetas do Senhor não recua mesmo que sofra dano. Micaias fala as verdades de Deus predizendo a morte de Acabe e é ferido no queixo por Zedequias, foi posto num cárcere e sustentado com pão de angústia e água de amargura até que Acabe voltasse em paz para a sua casa. (I Rs 22:25). Micaias dá as suas últimas palavras a Acabe “Se tu voltares em paz, o Senhor não tem falado por mim. Disse mais ouvi todos os povos!” (I Rs 22;28).

            Amado não duvide daquilo que o Senhor nos falar, seja por profecia ou pela sua própria palavra, Acabe montou uma estratégia, se disfarçou e foi para meio da batalha e um soldado na sua simplicidade atirou o seu arco, ou seja, atirou aleatoriamente sem pensar que era o rei e o atingiu sendo fatal (I Rs 22:34-37), de Deus não se zomba tudo o que o homem semear e ceifará (Gl 6:7). Tenhamos cuidado estejamos sempre prontos para ouvir a Deus e os seus profetas, mas cuidado com as mensagens que nos massageiam. A bíblia nos ensina a provar se é de Deus ou não (I Jo 4:1-3), muitos falsos profetas se levantam entre nós, isso tem causado danos no meio do povo de Deus pela negligência em aplicar essa grande verdade escrita por João nos orientando a provar os espíritos. Consultemos a Deus através da sua palavra e da oração que tem a resposta certa para cada um de nós.

Pr. Elis Clementino – Paulista -PE


IGNORÂNCIA X CONHECIMENTO

ESBOÇO 603
TEMA: IGNORÂNCIA X CONHECIMENTO
TEXTO: PROVERBIOS 14:8

A falta de conhecimento está ligada ao cotidiano de muitas pessoas, até naquelas que são consideradas arguciosas. Ninguém sabe tudo, entretanto o homem é ignorante naquilo que não conhece. Sócrates quando apontado pelos Delfos como o mais sábio do mundo ele disse: “Só sei que na sei”. Salomão via a informação sem limite tanto no sentido intelectual quanto do imaterial “Tudo isto provei-o pela sabedoria; eu disse: Sabedoria adquirirei; mas ela ainda estava longe de mim” (Ec 7:23). Sobre Deus Paulo expressa: “Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Pois, quem conheceu a mente do Senhor? Quem se tornou seu conselheiro? …” (Rm 11:33,34).

Muitos indivíduos são atropelados pela sua própria falta de conhecimento. As barbáries não são cometidas somente por pessoas ingênuas, laicas e ignorantes, mas também por pessoas consideradas sábias e arguciosas. No mundo existem muitas pessoas ignorantes, embora esse termo não seja entendido nesse esboço pelo lado pejorativo como ser estúpido e arrogante, mas pela falta de conhecimento das coisas. A ciência diminui a possibilidade de sermos atropelados pela ignorância. (Elis).

A ignorância pode ser: intelectual e imaterial, sendo que essa última é muito mais danosa, porque se refere à falta de conhecimento do criador e da sua palavra (Is 1:3; 5:13; 59:8; Os 4:6a). Quanto mais conhecimento menos ignorante é. (Elis) “O temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência” (Jó 28:28; Sl 111:10; Pv 1:7). Esses ensinamentos alcançam a todos e em qualquer época.

Intelectual
O conhecimento secular é essencial e vasto, infelizmente cada indivíduo utiliza apenas uma pequeníssima parcela do seu cérebro dessa vastidão, suponhamos que a nossa mente fosse um disco rígido de 8 GB ocupado apenas dez por cento da sua área, cujo restante está livre. O ser humano tem uma grande capacidade de absorver e armazenar grandes quantidades de informações no cérebro, como também a de explorar, as partes que não são exploradas torna-se uma área com muito pouca ou sem nenhuma informação “o que eu não conheço, simplesmente ignoro, ou seja, não há informações” tão pouco utilizarei para o meu próprio beneficio. 
O ser humano é limitado no seu conhecimento sobre: (a) Os mistérios da vida (Ec 11.5; Sl 139.6; Jr 1.5); (b) A brevidade da vida (Jó 8.9; Sl 73.22); (c) Sobre os males e o futuro de cada indivíduo (Ec 8.7; 9.12); (d) Sobre a natureza (Ec 11.5a; Mt 8. 27; Jo 3.8) entre outros.

Espiritual
Em relação ao espiritual: (a) Sobre Deus (Is 1.3; Jr 8.7; 9.3,6; I Co 15.34b); (b) A sua justiça (Jr 5.4; Rm 10.3); (c) A sua palavra (Jo 5.39; At 8.30,31); (d) Sobre Cristo (Jo 1.10,26; 4.10; 14.9), sobre esses assuntos somente se forem reveladas através da busca pela sabedoria divina. Tiago disse que quem quer peça a Deus que ele dá e não lança em rosto (Tg 1:5; 3:17). Salomão pediu e teve sabedoria e conhecimento (2 Cr 1:7-12).

Para alcançar sabedoria é necessário buscar a Deus, ele é uma fonte inesgotável e possuidor de todo conhecimento, por isso torna-se necessário buscá-lo e conhecê-lo (Os 6:3), como também crescer nele, Pedro incentivou os crentes a crescerem, observem que o verbo está no imperativo presente, significando continuar crescendo na graça e no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo (2 Pe 3:18), isso só ocorrerá mediante esforços e obediência (Jo 7:16,17), cujos resultados são: a liberdade da alma e de todo engano (Jo 8:31,32,36), e a condução para a vida eterna (Jo 17:3; Fp 3:10; Cl 1:10).

Com o conhecimento de Deus e da sua palavra o homem passa a ter a plena confiança e isso o faz acreditar em algumas verdades: (a) A existência do redentor (Jó 19:25; Is 50:7; 2 Tm 1:12); (b) Entende que ele trabalha por aquele que nele espera e os seus propósitos se cumprem em seu favor sem impedimento (Is 64:4; 54:17); (c) Sabe que todas as coisas convergem para o bem (Rm 8:28); (d) Tem esperança sobre o final da sua carreira espiritual (2 Co 5:1; 1 Jo 3:2; 2 Tm 4:7,8);

Devemos buscar conhecimento em todos os sentidos para termos um desenvolvimento pleno e a convicção de uma fé fundamentada em Deus. Em relação aos mistérios da vida e futuro pertence a Deus o autor de todas as coisas. As encobertas pertencem a Deus e as reveladas para nós (Dt 29:29). Quão maravilhosas são as tuas obras, ó Eterno, e insondável os teus desígnios! (Sl 92:5)


Pr. Elis Clementino – Paulista-PE

Foto