ESBOÇO 707 DEUS NOS SONDA E CONHECE

ESBOÇO 707
TEMA: DEUS NOS SONDA E CONHECE
TEXTO: SALMOS 139: 1

                 Os verbos Sondar e Conhecer são importantes porque revela um dos principais atributos de Deus, “a onisciência”. É através dela que Deus penetra em todas as coisas, tanto o presente quanto o futuro. A mente divina é um depósito de conhecimento e nele não há falhas e nem limitações.

1. Definição
A palavra onisciência vem do latim, Ominis “toda” e Scire, “saber” Ominis + Scire = Onisciência (Deus detem todo saber). É aquela qualidade da natureza de Deus que garante saber todas as coisas.

2. Evidencias Bíblicas da Onisciência Divina
Através de vários textos da bíblia se subtende que há um conhecimento ilimitado da parte de Deus, embora a palavra Onisciência não seja encontrada na bíblia, mas dali existe conceito; como por exemplo: (Rm 11: 33, 34), certamente exprimem o fato de que Deus conhece todas as coisas, os caminhos de Deus são inescrutáveis. Deus tem a seu dispor uma vasta profundeza de conhecimento e sabedoria, a mente dele não é perscrutada pelo homem, o (Sl 145:5) nos mostra que o entendimento divino não pode ser medido. Paulo escrevendo aos (Ef 3:10) mostrou que a sabedoria de Deus é multiforme.

3. Deus Conhece Todas as Coisas
3.1. Conhecimento divino
a) O conhecimento do Senhor é incompreensível para nós, ele abarca o passado, presente e o futuro (Jó 14:17; Sl 56:8; Isa 41:22-24; 44:6-8; Jr 1:5; Os 13:12; Ml 3:16). Existem outras significativas referencias a esse respeito como: (Mt 10:29; Sl 13:13-15; Sl 139:2, 12; Is 46:9, 10);

b) Deus é o eterno já, Ele vive fora do tempo e pode ver e esquadrinhar qualquer coisa do começo ao fim. Deus vive no eterno já e isso quer dizer que no sentido estrito não há passado, nem presente e nem futuro que o limiter. A mente divina abrange tudo, nada é oculto;

c) Ele é antes de todas as coisas (Cl 1:17; Jo 1: 1 3; Sl 33:6). Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra. Visíveis e invisíveis (Cl 1:16,17). Ele é antes de todas as coisas, e todas elas subsistem por ele. Paulo fala aqui da pessoa de Cristo, “o verbo”. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez (João 1: 3).

d) Pela palavra do Senhor foi feitos os céus; e todo o seu exercito deles, pelo espírito “Ruach aqui é traduzido por Espírito” que pode significar “sopro” da sua boca. (Salmo 33:6).

4. Deus te Conheceu ainda informe
a) Ainda Informe, os teus olhos viram o meu corpo ainda informe (Sl 139:16);
b) Já gerado no ventre da tua mãe, Antes que eu te formasse no ventre da tua mãe eu ti conheci (Jr 1:5);

c) Ele escolhe ainda no ventre da mãe, mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre da minha mãe me separou e me chamou pela sua graça (Gl 1:15);

d) Conheceu a mulher Samaritana, ele mostrou no diálogo que teve com ela dizendo: Vai, chama o teu marido e vem cá e a mulher respondeu não tenho marido (Jo 4:16-19,29), Jesus disse-lhe: Tivesse cinco marido e o que tem agora não é teu marido; Disse a mulher; disseste com verdade (Jo 4:18), a mulher convida dizendo: Vinde e vede um homem que me disse tudo quanto tinha feito; por ventura não é o Cristo? (Jo 4:29).

e) O testemunho de Jesus a respeito de Abraão. Abraão vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e se alegrou, essa palavra de Jesus despertou a curiosidade dos judeus (Jo 8:56-58).

f) Ele conhecia a Natanael, Jesus viu a Natanael vir ter com ele e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita em quem não há dolo. (Fraude ou má fé). Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu estando tu debaixo da figueira (Jo 1:47-48).

5. Deus conhece o teu hoje e amanhã:
5.1. Como e onde você está e quais condições
a) Em terra seca, ou no deserto da vida, na tua solidão,
b) Na tristeza do teu coração ou na alegria
c) Debaixo da figueira ou debaixo da promessa

                 O Senhor conhece todos os detalhes das nossas vidas, ele é o único que nos acompanha e nos sonda, ele conhece o nosso sentar e o nosso levantar, de longe ele entende os nossos pensamentos e esquadrinha os nossos corações e pesam todas as nossas obras na sua balança. Deus conhece o nosso futuro e está pronto para nos ajudar, por isso devemos lançar fora todo pressentimento ruim a respeito do nosso futuro.

Pr. Elis Clementino – Paulista –PE

AD Excelência

ESBOÇO 706 ISAQUE NA TERRA DE GERAR

ESBOÇO 706
TEMA: ISAQUE NA TERRA DE GERAR
TEXTO: GENESIS 26:1-5

                Nos dias da Abraão houve outra grande fome e por causa dela Isaque seu filho desejou ir para o Egito porque lá havia pastagem e alimento com abundancia, mas os planos de Deus nem sempre são os nossos “os pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos” e o Senhor mudou a trajetória de Isaque. Muitas vezes os nossos desejos contrariam os de Deus, enquanto o desejo de Isaque era ir para o Egito, o de Deus era que ele fosse para Gerar, lugar a beira do deserto, onde a água era rara e preciosa. Nesse episódio extrairemos algumas lições admiráveis, e as decorrências para quem ouve e obedece a voz de Deus.

1. Deus escolhe por Isaque
Há ocasiões que não podemos fazer as nossas próprias escolhas, embora sobre elas tenhamos uma visão que tudo ocorrerá bem, porém para Deus não será uma boa escolha que fazemos e daí ele resolve mudar os nossos planos porque ele sabe o que é melhor para nós. Deus escolheu por Isaque, às vezes não entendemos o trabalhar e o querer de Deus sobre as nossas vidas (Ec 11:5).

2. As exigências de Deus
Para Deus realizar seus propósitos em um indivíduo é necessário que ele atente para o que Deus determina como metas a serem cumpridas, observe as três exigências e quatro promessas de Deus para Isaque se ele obedecesse:
(1) Não desças ao Egito;
(2) Habita na terra que eu te disser;
(3) Peregrina nesta terra.

3. Promessas
(4) Eu serei contigo, e te abençoarei;
(5) A tua descendência darei estas terras;
(6) Confirmarei o juramento que fiz a teu pai Abraão;
(7) E multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra.

4. Isaque na terra de Gerar
Isaque obedece e vai a Gerar com a sua mulher Rebeca, foi testado assim como foi o seu pai no Egito, ambos negaram que tinham esposas com receio que acontecesse algo ruim. A fraqueza humana aparece nesses momentos, principalmente nos mais crítico da vida, por isso em algumas ocasiões perece não acreditarmos nas providências divinas e queremos fazer a nossa manobra, os homens daquela terra perguntaram a Isaque o que aquela mulher seria dele, ele, porém, negou dizendo: É a minha irmã, isso aconteceu também quando seu pai Abraão desceu ao Egito, mas o rei dos filisteus Abimeleque viu Isaque brincar com Rebeca, ora é claro que a brincadeira deles chamou a atenção do rei porque era um ato de brincadeira simples e que  acontece entre marido e mulher “Então chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que na verdade é tua mulher; como, pois disseste: É minha irmã? E disse-lhe Isaque: Porque eu dizia: Para que eu porventura não morra por causa dela.” “E disse Abimeleque: Que é isto que nos fizeste? Facilmente se teria deitado alguém deste povo com a tua mulher, e tu terias trazido sobre nós um delito. E mandou Abimeleque a todo o povo, dizendo: Qualquer que tocar neste homem ou em sua mulher, certamente morrerá.” Deus não necessita de algum tipo de manobra a fim de ajudá-lo a fazer cumprir os seus propósitos, a intervenção divina sempre entrará em ação quando mais precisamos dele.

5. A prosperidade de Isaque
A nossa prosperidade não depende somente de Deus, mas também de nós, porque a nossa parte precisa ser feita, que é a nossa obediência as exigências divinas. Vejam o que o Senhor fez através da obediência de Isaque, - “E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o Senhor o abençoava. E engrandeceu-se o homem, e ia enriquecendo-se, até que se tornou mui poderoso. E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, mas quando Deus nos engrandece começamos a incomodar pessoas os filisteus começaram a ter inveja dele e reagiram tapando com entulhos os poços que Abraão seu pai havia cavado (Gn 26:1-15). Os obstáculos aparecem querendo impedir o que o Senhor tem para nos dar, mas ele entra em ação e ninguém pode impedir (Is 14:27).

                Ninguém pode impedir o trabalhar de Deus em nossas vidas, as terras de Gerar era próximo ao deserto, não existia meios pelos quais pudessem enriquecer Isaque, mesmo com todos os obstáculos que os filisteus lhes causaram entulhando os poços Isaque não se intimidou continuou a cavar poços e tudo que ele fazia prosperava porque o Senhor era com ele. A tua prosperidade vem de Deus, não adianta alguém tentar lhe atrapalhar. O rei Abimeleque reconheceu o que Deus estava fazendo com Isaque, porque ele tornou-se mais poderoso em riquezas do que o povo daquela cidade (Gn 26:16). Isaque se tornou um cavador de poços, e aonde cavava dava águas vivas, cavar poço significa trabalho duro para conquistar algo na vida, tudo o que Deus prometeu a seu pai Abraão cumpriu (Gn 26:17-25).

Pr. Elis Clementino - Paulista-PE
AD Excelência


ESBOÇO 705 AS DUAS FACES DA LÍNGUA

ESBOÇO 705
TEMA: AS DUAS FACES DA LÍNGUA
TEXTO: “Com ela bendizemos a Deus e com ela amaldiçoamos os homens” Tiago 3:9

           As nossas palavras podem contribuir tanto para edificar quanto ferir e até matar pessoas, dependendo da maneira como as utilizamos. Existem pessoas exímias “peritas” em pronunciar palavras capazes de destruírem os ânimos de qualquer indivíduo, por essa razão há muitas pessoas desestimuladas e depressivas. A nossa língua tem duas faces, com ela bendizemos a Deus e com a mesma língua amaldiçoamos os homens. Nem sempre escapamos das línguas peçonhentas, elas estão por toda parte, e as pessoas por elas feridas precisam de ajuda, entretanto é preciso saber quais tipos de ajuda essas pessoas necessitam, pois dependendo de quem se propôs a ajudar pode melhorar ou piorar a situação do indivíduo.

1. As palavras ferem e matam
Dependendo de como usamos as nossas palavras podemos causar nas pessoas abatimento e até a morte. Na Bíblia encontramos o relato sobre Jó, ao ler sobre ele devemos avaliar as palavras ditas a ele pelos seus amigos Bildade, Zofar e Eliú, eles desconheciam a inocência de Jó, eles o acusavam de pecados no momento que ele mais precisava de ajuda. As palavras deles aumentavam ainda mais a sua dor, além disso, a sua mulher o induzia a tirar a sua própria vida (Renuncia este Deus e morre, ou seja, abandona a Deus e tira tua vida). (Se as suas palavras não puderem amenizar a dor e os sofrimentos, ou até mesmo estimular alguém que está sofrendo a superar as dificuldades fique calado, porque certamente outro fará isso em seu lugar). Existem pessoas que as suas palavras são carregadas por forças malignas, estas na realidade ocasionam algo ruim na vida das pessoas principalmente desprotegidas espiritualmente.

2. As palavras restauradoras e estimuladoras
2.1. Restauradoras
As nossas palavras podem restaurar os ânimos das pessoas que estão extremamente necessitadas, não há nada melhor do que uma palavra boa ao seu tempo a quem está cansado (Is 50:4), elas é como água fria e a sombra para quem está exausto ou cansado. Muitas pessoas estão carentes de palavras estimuladoras devido as suas condições psicológicas causadas pelas circunstancias que às vezes estão sendo submetido, o insucesso nalguma coisa que queremos realizar também causa-nos essa desmotivação, cujas consequências são enormes, o desanimo e a depressão são as conseqüências.

2.2. Estimuladoras
Também precisamos ter muito cuidado com as palavras estimuladoras, elas podem vir recheadas de exageros e deixar dúvidas, elas tem deixado muitas pessoas decepcionadas. Há registros na Bíblia Sagrada de pessoas que foram estimuladas de maneira erradas, elas foram induzidas ainda mais ao erro capaz de causar-lhes a destruição, basta ler sobre a aliança entre Acabe e Jeosafá. É preciso identificar a fonte de onde os estímulos estão vindos, porque o ego humano sente prazer em ser massageado e adoramos ouvir coisas que nos causem sensações de prazeres falsos ou verdadeiros.

            As nossas palavras devem ser ponderadas para então serem proferidas, pois elas têm a capacidade de promover tanto o bem quanto o mal, dependendo de como são ditas, em que momento, “há tempo para falar e tempo para ficar calado” (Ec 3:7); “Nem tudo que eu penso devo falar”. As nossas palavras podem incendiar um bosque, veja o poder que ela tem (Tg 3:5,6); a morte e a vida estão no poder da língua (Pv 18:21); Não multipliqueis palavras de altíssima altivezas, nem saiam coisas árduas ou duras da vossa boca (I Sm 2:3). Pelas nossas palavras somos absolvidos ou condenados depende da maneira como as usamos. Cuidado com as suas palavras! “Retém as palavras o que possui o conhecimento, e o homem de entendimento é de precioso espírito. Até o tolo, quando se cala, será reputado por sábio; e o que cerrar seus lábios, por sábio.” (Pv 18:27,28). Somente Deus nos guarda dos açoites da língua (Is 43:3).

Pr. Elis Clementino –Paulista –PE
AD Excelência


ESBÇO 704 DISCIPLINA O TEU CORAÇÃO

ESBOÇO 704
TEMA: DISCIPLINA O TEU CORAÇÃO
TEXTO: PROVÉRBIOS 24:12

                O homem em todos os sentidos da vida precisa ser disciplinado, ou seja, fazê-lo obedecer às normas, regras ou princípios que lhes são impostos. A Bíblia recomenda o seguinte: “Aplica à disciplina o teu coração e os teus ouvidos, às palavras do conhecimento.” Essas duas coisas são fundamentais para que o indivíduo viva bem.

1. Um coração disciplinado
Não há nada mais difícil do que disciplinarmos a nós mesmos para conseguimos conter os nossos anseios, se não nos disciplinamos estamos sujeitos a perder as mais belas oportunidades que a vida nos faculta. Você já pensou que catástrofe pode acontecer com uma pessoa que não consegue controlar o seu coração de onde procedem as saídas da vida. “Do coração procedem às saídas da vida.” “Com sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma;” (Pv 24:3). O tolo não sabe o que significa disciplinar a si, ele não consegue controlar seus anseios, entretanto o cristão deve ter o seu coração disciplinado e moldado através de princípios que são fundamentais para uma bela comunhão com o Senhor.

2. Características de um coração indisciplinado
1. Arrogante - O coração arrogante não se contém, a sua audácia lhe conduz a perdição;
2. Coração mau – O homem mau tira do seu tesouro o que é mau;
3. Cheio de ódio – Quem odeia vive em constante coração amargurado;
4. Vingativo – A vingança é o resultado de um coração arrogante, mau e cheio de ódio, tudo isso sai do coração.

3. As consequências
O indivíduo que tem o coração indisciplinado é apático, intransigente e presunçoso e prontamente ele se cerca de inimigos. As suas atitudes são desastrosas e sem limites, não visa o bem estar dos seus semelhantes, não valoriza as outras pessoas, adora estar cercado de privilégios, no entanto não sabe ele que a ruína está prestes a chegar “A soberba precede a ruína e a altivez de espírito a queda.” (Pv 8:16)
                                                           
4. Características de um coração disciplinado
1. Moderado, apaziguador é imparcial, as suas decisões são ajuizadas.
2. Humilde, um coração humilde, simples e desprovido de orgulho.
3. Amável, é um dos pronomes utilizado por quem tem o coração disciplinado.
4. Não guarda rancor, o ódio se abriga no seio dos tolos.
5. Perdoa, um coração desprovido de ódio perdoa.
6. Paciente, a paciência é um distintivo de um coração tranquilo.
7. Sábio, um coração ajuizado, cordado, controlado, sabe se comportar em situações diversificadas.
8. Inteligente, perspicaz, esperto também faz parte de um coração disciplinado.

                O que aplica a disciplina ao seu coração e o seu caminho será bem ordenado. Todas as características foram faladas tanto de um coração indisciplinado quanto disciplinado gozarão dos seus frutos “Tudo o que o homem semear isso ele ceifará” (Gl 6:7). Aquele que disciplina o seu coração certamente colherá bons frutos, do coração mau coisas más sairão dele, um bom coração, boas coisas sairão (Mt 15:18; Pv 6:12). Deus guarde os nossos corações devemos pedir a Deus um coração sábio como fez Salomão.

Pr. Elis Clementino – Paulista – PE

AD Excelência

ESBOÇO 703 BARNABÉ, UM DISCÍPULO ACOLHEDOR

ESBOÇO 703
TEMA: BARNABÉ, UM DISCÍPULO ACOLHEDOR
TEXTO: ATOS 9:27

                Não é nada fácil mudar a reputação de alguém quando ela é má, existem pessoas que a sua fama é tão terrível que ninguém quer se aproximar delas. Nesse mote eu quero ressaltar a maneira como devemos receber os novos crentes na igreja, seguindo o belo exemplo de Barnabé um discípulo do Senhor, mas antes precisamos conhecer um pouco sobre Saulo e Barnabé.

1. Quem era Saulo de Tarso?
Saulo natural de Tarso, um soldado romano, homem preparado criado aos pés de Gamaliel, fiel na sua missão, ele possuía dupla cidadania. Saulo foi um grande perseguido e foi responsável pelas prisões dos cristãos, participou da morte de Estevão, todos temiam a Saulo (At 7:58; 8:3; 9:1,2), perseguiu os cristãos até o dia que teve o encontro com o Senhor (At 9:3-6), mesmo assim Ananias, como também os demais discípulos não queriam acreditar devido a violência que usava para com os cristãos (At 9: 13,14). Após o seu encontro com o Senhor a sua vida mudou completamente, ele teve um profundo recomeço na vida, ele foi humilhado e cego, Saulo teve a mais profunda experiência. Cada tem a experiência pessoal a respeito da a sua conversão, a ele foi-lhe dado a tríplice missão:
(a) Pregar aos gentios;
(b) Pregar aos reis;
(c) Aos filhos de Israel (At 9:15).
Ao chegar a Jerusalém conduziram Saulo aos discípulos, mas eles não acreditaram que ele também fosse um discípulo do Senhor (At 9:26), mas na sinagoga havia um discípulo chamado Barnabé que o recepcionou.

2. Quem era Barnabé?
Um discípulo do Senhor, natural de Chipre, cujo nome significa “filho da consolação ou da exortação”, ele possuía características importantes como:
2.1. Um moço solidário (At 4:36,37);
2.2. Compreensivo (At 9:26,27);
2.3. Tinha o dom de exortar (At 11:23);
2.4. Era cheio do Espírito Santo (At 11:24);
2.5. Havia nele uma influência inspiradora (At 11:25,26);
2.6. Homem de confiança (At 11:29,30);
2.7. Tinha uma aparecia agradável (At 14:12);
2.8. Havia nele um chamado para missão (At 13:2);
2.9. Sustentava a si próprio (I Co 9:6);

3. Auxiliando os novos crentes
1. Toda pessoa que se converte a Cristo necessita de alguém para se responsabilizar por ele, ajudá-lo e acompanhá-lo, ensiná-lo e encorajá-lo. Barnabé foi esse alguém que recepcionou Saulo de Tarso e o acolheu tomando a frente para ajudá-lo, porém é triste quando o cristão faz tudo o contrário, ou seja, ao invés de ajudar atrapalha a fé daquele novo crente, porém esse tipo de crente é chamado pedra de tropeço.

2. Ao ingressar na igreja, a pessoa precisa de outros cristãos para os ajudarem, principalmente aquele indivíduo que muitas vezes vem com a sua reputação manchada, ajudá-lo é um dever cristão. Muitas vezes há certo temor quando essas pessoas ingressam na igreja, mas isso é natural, mesmo sabendo que se tratava de um homem perigoso Barnabé o recepcionou e o encaminhou aos Apóstolos (At 9:27). “Um homem não é homem sem outro homem” talvez essa frase choque inicialmente, mas na realidade faço referência da necessidade de um homem precisar do outro para ajudá-lo, encorajá-lo, ensiná-lo e etc. “Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse esforça-te” (Sl 41:6); “um cordão de duas dobras pode quebrar, mais o de três dobras resistirão”.

                A lição que extraímos desse texto é a de Barnabé, a sua hospitalidade e afabilidade servem de exemplo para nós hoje. Atualmente as pessoas que ingressam na igreja precisam dessa assistência espiritual dando-lhes o voto de confiança e ensiná-lo para que ele dê frutos, não importa quem sejam eles. Isso deve ser feito com habilidade, para que não impeçam o desenvolvimento daquele novo crente. As atitudes de muitos crentes atropelam o crescimento espiritual dos novos convertidos, muitas vezes com falatórios vãos, desencaminhando o crente para estar conversando na hora do culto, leva para fora do tempo, fala da igreja e dos obreiros, coisas que não edifica ninguém, gente dessa natureza é pedra de tropeço e agente do Diabo, desses o novo convertido deve se afastar urgente para não ficarem escandalizados e perderem a fé. A igreja precisa de muitos Barnabés para ajudar os novos crentes a desenvolverem a sua fé e se tornarem um instrumento na obra de Deus. Barnabé tornou-se um grande companheiro de Paulo na obra missionária.

Pr. Elis Clementino – Paulista-PE

AD Excelência

Foto