Para refletir...

A CONFISSÃO DE PEDRO

Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o filho de Deus(Jo 6.68,69).

Ao seguimos a Cristo devemos estar dispostos a ouvir a sua voz independente do que Ele nos queira falar, porém não foi isso que aconteceu com uma multidão que provavelmente não estava comprometida com o Mestre, eles apenas o seguiam. Entretanto havia um grupo seleto que estava disposto a ouvi-lo como também segui-lo, somente eles não se retiraram,estavam conscientes, pois o que Jesus proferia era verdade, ou seja, não estavam apenas envolvidos com o ministério de Cristo, mas comprometidos.

Ao ver Jesus uma parte da multidão deixá-lo, imediatamente se volta para os discípulos e faz uma interessante indagação: - Quereis vós também retirai-vos? Naquele momento todos pararam... E do meio deles surge uma resposta; era Pedro o mais corajoso da equipe: - Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna, e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o filho de Deus. (Jo 6.68-68)

Existem pessoas que só querem ouvir aquilo que gostam e sejam do seu interesse, principalmente as coisas que lhes causem prazer e massageei o seu ego. Entretanto as escrituras nos mostram verdades que não gostaríamos de ouvir, pois elas também são importantes, muitas verdades expressas por Jesus eram consideradas blasfêmias, porque parecia contrariar a lei de Moisés e se auto-promover, atribuímos a atitude daquelas pessoas a falta de conhecimento das escrituras e do Messias, aquela multidão apenas o acompanhava, enquanto os discípulos, afirmaram não apenas acompanhar, mas crer e conhecê-lo.

Devemos estar conscientes que não seguimos a Deus pelo que ele tem para nos dá, e sim, pelo que Ele é. Seguir a Deus simplesmente por interesse próprio não tem sentido e nem resultado. Fato interessante aconteceu a respeito de Jó, Satanás pensou que o Senhor aceitara suborno ao declarar que Jó só servia a Deus pelos bens que possuía (Jó 1.9-11; 2.4,5), ainda hoje muitos tem essa idéia, ser bem sucedido na vida facilita servir a Deus, muito pelo contrário, a busca excessiva pela fama e dinheiro, só atrapalham, porque o dinheiro é a raiz de todos os males (I Tm 6.10), não podemos servir a Deus e as riquezas (Mt 13.22; Mc 10.23; Lc 8.14; 18.23,24;).

Os discípulos estavam comprometidos com a obra de Deus, mas esse empenho não isentava a sua preocupação com os bens materiais (alimentos, vestes calçados, etc). No entanto eles procuraram o seu líder para saber a respeito de tais coisas, interpelando: - Deixamos tudo para te seguir o que haveremos de ganhar (Mt 19.27), para muitos o mais importante são os bens materiais, como se ele fosse tudo (Mt 6.25-34). A porta de entrada para as bênçãos do Senhor sobre nós está em buscar primeiro o reino de Deus e a sua justiça (Mt 6.33) e as demais coisas certamente virão se estiverem dentro dos propósitos divino.

Por nada nesse mundo devemos nos afastar de Jesus, a confissão paulina na carta aos romanos ressalta que não há razões para separarmos do amor de Cristo (Rm 8.35), e mediante as diferentes situações que vivemos devemos entender que não se comparam com a glória que em nós há de ser revelada (Rm 8.18).

No entanto as adversidades que enfrentamos no nosso cotidiano sempre existiram, existem e continuarão existindo, porque são consequências da queda espiritual do homem, além do mais, o mundo jaz no maligno, ele segou o entendimento da humanidade para que a luz do Senhor não resplandeça (2 Co 4.4), isso resulta em sofrimentos não somente para os filhos de Deus, mas toda humanidade.

Quem se decide para o Senhor recebendo promessas de algo que lhe interesse, como bons empregos, fortunas, altas posições, entre outros, não se firmam nas verdades do evangelho, porque quando se deparam com a realidade da vida desistem como fizeram aqueles seguidores que apenas acompanhavam o Mestre. Mas devemos prosseguir independentemente do que venham acontecer porque só existe uma pessoa nesse mundo capaz de nos trazer paz, prosperidade e alegria ao coração, JESUS CRISTO.

Por essa razão Pedro respondeu: “Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o filho de Deus(Jo 6.68,69). Essa foi uma declaração decisiva feita por um discípulo.

Pr. Elis Clementino, Itapissuma – PE/Brasil

POR QUE EU?

Porque o que eu mais temia me veio, e o que receava me aconteceu” Jó 3.25.

Durante a nossa vida quase sempre fazemos essas perguntas a nós mesmos; Por que eu? Logo eu! Principalmente, quando algumas coisas não andam bem do nosso lado. O ser humano é tendencioso em pensar que as coisas ruins somente ocorrem com outrem, no entanto vivemos em um mundo que alguns fatos indesejáveis acontecem justamente conosco, mas isso não é motivo para entrar em desespero, pois se olhares a sua volta existe pessoas em situação pior, sendo assim, não estás sozinho nessa batalha, há uma multidão na mesma condição.


Nos altos e baixos da vida iremos atravessando os dias bons e ruins até chegar o nosso final, mas necessariamente devemos olhar para trás e vermos o quanto fomos fortes em superar todas as dificuldades.


Tomemos como exemplo a subida de uma longa escadaria, para chegarmos ao topo, realizamos muitos esforços, e ao olharmos para baixo veremos quantos ficaram para trás, entretanto devemos prosseguir sem olhar para as dificuldades, sempre visando algo melhor. “esquecendo-me das coisas que para trás ficam, avançando para as que estão diante de mim” (Fp 3.13). Olhe para trás, e veja o passado, quantas batalhas você já venceu? Ah! Mas eu perdi algumas, mas você não é um perdedor, e sim, VENCEDOR, pois só o fato de você estar vivo já se constitui uma grande vitória, a superação das dificuldades, só dependerá unicamente de você


Geralmente lamentamos sem necessidade, e às vezes por tão pouca coisa. O personagem bíblico Jeremias, considerado o profeta “chorão”, estava se queixando dos problemas que vivia naquele momento, mas para Deus tudo que ele estava passando era coisa pequena “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalos? Se tão somente numa terra de paz está confiado, que farás na enchente do Jordão” (Jr 12.5).


Ora, tudo o que Jeremias estava passando era só o começo, o sofrimento nas mãos dos sacerdotes em Anatote, não significaria nada com relação ao que ele haveria de passar. Não obstante o profeta antes mesmo desses acontecimentos já estava deplorando-se, quando deveria se preparar para enfrentar situações ainda mais constrangedoras no seu ministério profético.


Jamais devemos pensar da mesma maneira que o profeta, mas ter a confiança que superaremos os obstáculos que surgirem, a fé em Deus deve estar sempre em ação, pois Ele está no controle de tudo.


A nossa vida não é diferente, quantas vezes nos preocupamos, nos lastimamos, e nos perguntamos, porque eu? E não aquele? Mas devemos entender que para todas as coisas existem finalidades especificas, porém, muitas vezes não queremos entender como se processam.


Pr. Elis Clementino/Itapissuma-PE


O VALOR DA ADORAÇÃO


“Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com perfume de bálsamo. (João 12:3)

Adoração é a maior expressão de gratidão que o ser humano pode oferecer ao seu criador, adorar é um sacrifício que se dar e nem sempre é bem visto, saiba que o ato de adorar ao Senhor movimenta um mundo espiritual que se manifesta fortemente para impedir que seja feito para Deus. (2 Sm 6:14,15,16,20-22), Mical não era adoradora e desconhecia que todos os seres no céu e na terra foram criados com essa finalidade.

O verdadeiro adorador não mede circunstancias para adorar, Davi quebrou o protocolo real por causa da adoração ao Senhor (2 Sm 6:21,22), ele sabia que esse ato era de valor inestimável e a arca representava a própria presença de Deus, foi uma ação de um coração agradecido e um profundo reconhecimento dos favores de Deus sobre a sua vida. Há várias maneiras de se adorar ao Senhor, e aquele que se dispõe a oferecer tal sacrifício necessariamente precisa saber que deve ser feito de coração e voluntário, para que seja recebido por Deus com ações de graça.

O contexto não fornece informações históricas a respeito de “Maria”, mas a tradição admite ser ela a mulher pecadora “Maria Madalena” (Lc 7:39). Certamente a ação dela foi um ato de consideração pelo que o Senhor havia feito em sua vida.

Somente os corações contritos e agradecidos oferecem sacrifícios sem reservas envolvendo se necessário até valores, como alto preço do ungüento “nardo puro” lançado aos pés do Mestre na casa de Lázaro (Jo 12:3; Lc 10:38,39; Mc 12:42). Ela tinha muitas outras formas de expressar este ato de gratidão, mas aquele momento foi o mais conveniente, porque talvez ela não tivesse mais outra oportunidade de fazê-lo.

Um coração agradecido se dispõe a adorar, principalmente quando se reflete sobre os benefícios do Senhor em nossas vidas, Zaqueu ao meditar sobre o que acabara de receber levantou-se e disse: “Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”. Essa foi a mais forte expressão de Zaqueu. Ao ouvir essa declaração Jesus diz: “Hoje, houve salvação nesta casa” (Lc 19:8,9). O que você tem recebido até hoje vale mais do que o dinheiro?

Algumas pessoas declaram ser adoradoras somente de lábios, às vezes porque canta, mas cantar, nem sempre significa adorar ao Senhor, hoje nos deparamos com os verdadeiros profissionais do canto, que apenas cantam e até conseguem encantar as pessoas com o seu canto, são descompromissados com a igreja, vivem como verdadeiros soldados sem quartéis, ovelhas sem pastor, são os últimos que chegam aos templos e apenas para cantar, não se envolvem com o culto a Deus e estão totalmente alheios ao ato da verdadeira adoração e um profundo sentimento de fé.

O sentimento de adoração vai muito mais além de um cantar, é envolver-se nos mistérios de Deus em espírito e em verdade, “Importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4:24) envolvendo espírito, alma e corpo, para dar ao Senhor o melhor que o nardo puro com alto teor em essência e o mais caro da época, é mais do que regar-lhes os pés com lágrimas, muito mais do que enxugar com os cabelos. Para o mestre não importava o que estava sobre a mesa, como os alimentos e em volta muitas pessoas, mas sim, o que estava acontecendo embaixo da mesa, uma mulher que quase não se via, no entanto Jesus enxergava nela um real sentimento de adoração e agradecimento.

Devemos nos dirigir a Deus na condição de adorador e não nos alocarmos na condição de adorado, como verdadeiros ídolos mundanos, atores ou qualquer outro personagem e até pregadores nos palcos exibindo os seus potenciais se revestindo de glória humana. Adoremos ao Senhor com toda a nossa força e em santidade, porque tudo é dEle e para Ele, tenhamos uma vida compromissada com o louvor e a adoração a Deus, quando o adoramos a nossa casa se enche de glória.

Pr. Elis Clementino – Itapissuma - PE



PREOCUPAÇÃO

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças” Filipenses 4:6.


A inquietação ou ansiedade é um mal que atinge quase todo ser humano, muitos fatores podem causar esse tipo de problema, o resultado dessa doença é o estresse, sendo capaz de trazer conseqüências ainda maiores como a depressão, podendo até atingir o sistema nervoso central da pessoa, quem é atingido sente-se impossibilitados e inaptos para superá-la.


Geralmente a perturbação se apresenta como uma espécie de medo dos problemas, que sempre nos atinge devido às circunstancias que somos submetidos, pois é muito difícil de obter cura, entretanto há meios pelos quais podemos até amenizar, isso quando levamos a sério a situação.


A preocupação é o ato ou efeito de se preocupar-se, idéia fixa e antecipada, que perturba a mente, cujas características são bem visíveis, a pessoa se apresenta com vontade de querer ver o resultado ou desfecho daquilo que está em sua mente, com isso vem à impaciência, falta de calma e tranqüilidade na demora das realizações dos desejos (Pv 13:12,19).


Comumente quem é atingido por esse mal, não dorme não se alimenta bem, fica o tempo todo intranqüilo, pessoas assim é muito fácil de identificar. Com o estresse instalado surge o mau humor, pavor, debilidade física, alteração do metabolismo visivelmente aparece na face do individuo, nesse estágio as queixas passam a serem freqüentes (I Rs 19:4; Jó 10:1; 23:2; Jn 4:3,8; Sl 55:2; 77:3) levando o sujeito ao desespero a ponto de pedir a morte para si, fatos como esse aconteceu com muitos homens de Deus (Nr 11:14,15; I Rs 19:4; Jr 20:14,15, 17,18).


A preocupação torna a pessoa pessimista, não tendo uma visão de superação deixando a sua autoestima em baixa, para ele as demais pessoas podem conseguir superar tudo, menos ele, a fé enfraquecida impossibilita de ver o seu próprio sucesso, mas é nessa extrema situação que devemos sentir que não estamos sozinhos na batalha, e que existem pessoas na mesma situação ou pior do que você.


Fazer uso da fé é indispensável, porque é o firme fundamento das coisas que não se vêem. A confiança em Deus permite uma fé inabalável, pois conseguimos enxergar o que os olhos naturais não conseguem, a palavra de Deus nos encoraja a batalhar por uma fé que uma vez nos foi entregue. (Jd 3b).


Dizei aos desalentados de coração: Sede fortes, não temais. Eis o vosso Deus” (Isa 35:4) “Não temas, porque eu estou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel” (Isa 41:10,13).


Podemos aplicá-las na nossa vida diária, mesmo com todo sofrimento não deixe a assassina chamada preocupação lhe matar, mas tome uma atitude em declarar como Paulo: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4:13). Continue confiando em Deus que todos os seus projetos serão concretizados “Lançai sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (I Pe 5:7).


Pr. Elis Clementino da Silva, Itapissuma/PE





PENSANDO NO MEU CASAMENTO.


"E serão os dois uma só carne, e, assim, já não serão dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou, não separe o homem." Mc 10:8,9.




Você sabe o que é casamento e porque ele existe e que Adão foi o único homem que não teve oportunidade de escolher a sua esposa e não teve sogra? Pois bem, depois de Adão os homens passaram a ter a capacidade de escolha para fazer o seu casamento. Conforme as escrituras sagrada entendemos que o casamento é a união entre duas pessoas de sexo oposto, ou seja, entre um homem e uma mulher. O Senhor não fez Adão e Ivo.


Essa união cuja sustentabilidade é fundamentada no amor entre si, pois sem dúvida ela é uma benção de Deus, através dela surgem os filhos formando uma família, unir-se pelos laços do matrimonio geralmente é o desejo das moças e rapazes, por existir a necessidade de se completarem; tudo é muito bonito, é um encanto, as trocas de carinhos são constantes e não se cansam, é um céu azul cheio de estrelas, não se dando conta que após o casamento eles terão que caminharem na longa estrada da vida sós e enfrentarem todos os problemas do cotidiano.


A vontade de quem se ama é estar junto e não pensam em nada que virá pela frente, finalmente o casamento não é só entrarem na igreja acompanhada (o) com os pais, outras pessoas também se envolvem como as testemunhas e convidados, os nubentes se encantam em uma suntuosa ornamentação ao som de uma marcha nupcial, mas não se resume apenas nisso, quando terminam a comemoração do casamento o casal vão embora sozinho, para daí iniciarem uma nova vida, mas isso é só o começo, muitas coisas estão por vir.


Eu também fui assim, nada pensava do que veria depois, fui um jovem cristão e como os demais tinham; um intenso desejo de me casar, porém eu me deparei com um grande problema era conseguir a noiva, vejam as coisas como são, nem sempre aquilo que é fácil para os outros é para nós, as que eu conseguia logo desistiam por pensarem em um futuro muito promissor, pois sendo um rapaz muito doente, ninguém queria apostar em um relacionamento afetivo comigo. Até que um dia encontrei uma corajosa que confiou e apostou no meu sucesso, e deu-me o seu coração para que eu pudesse amá-lo.


Então dei um profundo respiro de alivio e disse: Ha! Encontrei a costela que me faltava, os dias foram passando e já estamos entrando aos trinta e oito anos de vida conjugal, tenho certeza que a minha esposa não se arrependeu e se tivéssemos oportunidade faríamos tudo novamente, mas qual é o segredo para viver todo esse tempo? Porque não fomos simplesmente unidos por um laço, foi muito mais que um laço, realmente uma união “carne da mesma carne e osso dos meus ossos” física e espiritual de duas pessoas que se amam.


Embora saibamos que existe uma série de coisas que podem comprometer um relacionamento conjugal, e uma delas é o estresse, o mau do século. Ele distancia as pessoas uma das outras, afetando diretamente os cônjuges, permitindo que não haja tempo para se comunicarem, mas se não tomarem uma decisão firme, essa situação vai se agravar entre eles, as perguntas e as respostas que fazem entre si são extremamente grosseiras, fechando a porta para qualquer diálogo, vale ressaltar ainda que quando os cônjuges se tornam individualistas os transtornos ainda serão maiores no relacionamento e as vozes que se escutam muitas vezes nos lares em crises são; Você não manda em mim, eu não preciso de você, faça o seu que eu faço o meu, medem forças, ou assumem continuar morando debaixo do mesmo teto, mas separados, e com isso o casamento já está totalmente comprometido, o pior ainda é quando envolvem os familiares, espero que o seu não tenha chegado a esse ponto, e se chegou, rapidamente reverta esse quadro de fracasso buscando de Deus a força e a superação.


Necessariamente devemos pedir a Deus sabedoria e capacidade para administrar essas diferenças com muito diálogo e compreensão. Nos momentos de dificuldades, paramos muitas vezes para pensar em cada passo que deveríamos da à diante, as boas conversas são como água que lava o mais intimo dos corações magoados, lembrando sempre que no dia da união houve muitos sorrisos de felicidade e abraços, mas na separação é o contrario, principalmente quando há filhos, o rastro de destruição e tristezas vai ficando para trás e muitas casais não se dão conta disso. Pensem bem no seu matrimônio, porque eu ainda continuo pensando no meu.


Pr.Elis Clementino da Silva, Itapissuma /PE

2 comentários:

jucelino disse...

Muito bom este comentário sobre a pesca maravilhosa. o interessante é que Deus sempre nos dá um novo inicio. E esta visão é de imprescedível valor para a igreja e seu crescimewnto.
Pb. Jucelino cavalcanti

SIDNEI E FABIANA disse...

GOSTARIA DE AGRADECER A DEUS PELA SUA VIDA PR. ELIS CLEMENTINO QUE DEUS CONTINUE LHE USANDO COMO ESSE CANAL DE BENÇÃOS EM NOSSAS VIDAS QUE DEUS LHE DÊ MUITO ENTENDIMENTO FORÇA E QUE DEUS LHE DÊ MUITOS ANOS DE VIDA PARA QUE O SR. CONTINUE NOS ENSINANDO A SANTA PALAVRA DE DEUS QUE OS SEUS FRUTOS SEJAM CADA DIA FRUTÍFEROS PERANTE O SENHOR DEUS TE ABENÇOE MEU PASTOR.
IRMÃO = SIDNEI, PB JÚLIO, MINHA ESPOSA FABIANA E MINHA FILHA EMANUELI

Foto