CONSERVANDO O ALTAR ACESO

ESBOÇO 322

TEMA: CONSERVANDO O ALTAR ACESO

O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará” (Lv 6.13)

INTRODUÇÃO

O altar é algo que está intrinsecamente ligado às questões espirituais, pois bem, é uma palavra muito usada nas escrituras sagrada, à primeira expressão sobre altar encontra-se em (Gn 8: 20) quando Noé edificou um altar ao Senhor, e a última em (Ap 16:7). Altar era o lugar onde se oferecia sacrifícios e ofertas pacíficas ao Senhor. Quando alguém erguia um altar certamente possuía uma oferta a ser oferecida, o ofertante esperava que tal fosse aceita e através dessa aceitação recebesse a benção e o perdão. Existiam altares que necessariamente deveriam estar aceso dia e noite (Lv 6: 9-13), como também as lamparinas ou candelabros dos templos. Neste breve comentário discorremos de forma simples sobre a importância e os ingredientes para manter o fogo do altar aceso.


Elementos pertencentes aos altares construídos para sacrifícios.

Altar: Havia altares de diversos materiais; terra; pedras; (Ex 20:2, 25), bronze; (2 Cr 1:4,5; 4:1) e madeira.


Lenha: Elemento indispensável para a manutenção do fogo, cuja tarefa competia aos sacerdotes.


Holocausto: A palavra se deriva de uma raiz que significa “ascender” e aplicava-se à oferta que era totalmente consumida pelo fogo cuja fumaça subia até Deus (Lv 6.12). O altar deveria ser construído de forma perfeita, se assim não fosse não seria aceito pelo Senhor, e não passaria simplesmente de uma fogueira.


Fogo: Elemento imprescindível para manter o altar abrasado. E quando fazemos uma analogia à vida cristã o fogo é símbolo de limpeza, purificação, e o zelo produzido através do Espírito Santo. (Isa 4.4; Mt 3.11, Lc 3.16, Lc 12.49,50).


Altares irregulares.

A perfeição sempre fez parte da santidade divina, os altares deveriam ser justamente de acordo com as exigências de Deus para que as ofertas fossem realmente aceitas por Ele, altares incompletos ou desajustados ou sacrifícios irregulares como fizeram Nadabe e Abiú que levaram fogo estranho para o altar (Lv 10.1). Entretanto, Deus rejeita qualquer coisa que não envolva a santidade.


Elementos para o altar da vida espiritual

Na dispensação da graça não há mais necessidades de construirmos altares de pedras, madeira e bronze, o nosso corpo quando entregue a Deus através do seu filho torna-se um altar, e muito mais, uma habitação de Deus (I Co 3.16; 6.19). Para mantê-lo não necessitamos de materiais: lenha, fogo e holocausto, mas uma santificação constante (Lc 1:75;Ef 4.24; 2 Ts 2.13; Hb 12.14) a palavra de Deus e oração, pois é através dela que nos relacionamos com criador (Rm 12:12; Ef 6:18).


No sentido espiritual esse altar passa a existir no momento que a pessoa se entrega totalmente a Deus através de Jesus Cristo o seu filho.

No altar da vida espiritual o holocausto deve ser o nosso próprio corpo em sacrifício (Rm 12.1; I Pe 2.5), pois somente dessa forma conseguiremos oferecer o melhor e agradar a Deus em tudo. Vida no altar é ser cheio da plenitude espiritual, isso fala de abundância, ser completo. O apóstolo Paulo desejou que os crentes de Éfeso fossem cheios de toda plenitude de Deus (Ef 3.19). Isso também significa ter um altar aceso e aprovado pelo Senhor. Deus não está interessado na quantidade dos sacrifícios oferecidos, mas na qualidade, pois Ele não aceita qualquer sacrifício.


Há muitas pessoas que oferecem a Deus sacrifícios inúteis, isso é notável nos cultos, quando não há reverência e as oferendas são de péssimas qualidades. No tempo da lei era representado pelos animais cegos e mancos, ou seja, maculados, isso se constitui sacrifício de tolo (Ec 5.1). Deus é um juiz e está atento a todos os nossos sacrifícios.


“porque o que mais alto é do que os altos para isso atenta; e há mais alto do que eles” (Ec 5.8b).


CONCLUSÃO

Devemos oferecer a Deus sacrifícios de qualidade e sem reservas sobre o altar da nossa vida espiritual, ofereça o melhor, tendo cuidado de manter o fogo aceso, para não oferecer sacrifícios de tolo. “Portanto, rogo-vos, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como sacrifico vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1). “De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso de honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda boa obra” (2 Tm 2.21)


Pr. Elis Clementino – Itapissuma - PE


3 comentários:

Esther disse...

paz do senhor pastor,eu gostei muito deste tema foi interessante. eu queria fazer um pedido,era que o senhor entrasse no meu blog,e postasse um comentário .
atenciosamente Esther.

EStudos |Bíblicos e sermões disse...

Estar gostaria de saber o seu blog e muito obrigado pela sua importante visita.

pastor Elis Clementino

EStudos |Bíblicos e sermões disse...

PAZ DO SENHOR.
ESTER MUITO OBRIGADO PELA SUA VISITA, GOSTARIA MUITO DE SABER O ENDEREÇO DO SEU BLOG PARA FAZER VISITAS OK

PR ELIS CLEMENTINO

Foto